Pier Paolo Cito/AP
Pier Paolo Cito/AP

Papa Bento XVI afirma que falta humildade ao homem

Durante celebração do dia dos Três Reis Magos, pontífice disse que 'humanidade fechou coração à Deus'

Efe,

06 Janeiro 2010 | 09h36

O papa Bento XVI afirmou nesta quarta-feira, 6, que a humanidade está segura demais de si mesma e que falta a "humildade autêntica, que sabe se submeter ao que é verdadeiramente importante", durante a homilia da missa da Epifania do Senhor, celebrada nesta quarta-feira na Basílica de São Pedro.

Veja também:

linkAutor de ataque a João Paulo II quer ser cidadão polonês 

linkAssistente de Bento XVI visita mulher que o derrubou

 

Bento XVI percorreu em procissão a nave central até o altar, cumprimentou os fiéis e as crianças, sob estrita vigilância dos gendarmes vaticanos, sem que fosse registrado nenhum incidente, após o pontífice ter sido derrubado na Missa do Galo por uma mulher com transtornos mentais.

 

O papa afirmou que a humanidade pretende "conhecer perfeitamente a realidade" com "a presunção de já ter feito um julgamento definitivo sobre as coisas" e fechou o coração "à novidade de Deus".

 

Bento XVI relatou a adoração ao Menino Jesus em Belém dos Reis Magos do Oriente, "personagens desconhecidos e inclusive vistos como suspeitos", que mudaram o rumo da história, e fez uma metáfora.

 

"Muitos viram a estrela, mas só poucos compreenderam a mensagem" e, "embora os poucos de Belém tenham se transformado em muitos, os crentes em Jesus Cristo parecem sempre poucos".

 

Os presentes ofertados pelos Reis Magos na gruta de Belém representam "um ato de justiça", de submissão a Deus, e significam o reconhecimento de uma pessoa como Deus e rei.

 

Os Reis Magos seguiram o caminho da criança, "o caminho do amor que só pode transformar o mundo", guiados por uma estrela, "uma luz que não se apagou" e ilumina a humanidade.

 

"Essa luz não pode ser ignorada no mundo: os homens se movimentarão para aquela criança e serão iluminados pela alegria que só Ele pode dar", disse o papa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.