Reuters
Reuters

Papa Bento XVI pede esforços das nações contra o desemprego

Pontífice lamentou a notícia do fechamento de uma fábrica da Fiat na Itália e que eliminará 3 mil empregos

Efe,

01 Fevereiro 2010 | 10h19

O papa Bento XVI pediu neste domingo, 31, durante a reza do Ângelus, na Praça de São Pedro, que os governantes se esforcem no combate ao desemprego neste momento de crise. Depois da oração, o pontífice lamentou o fato de "a crise econômica estar causando a eliminação de inúmeros postos de trabalho" e fez um apelo "ao grande senso de responsabilidade de empresários, trabalhadores e governantes".

 

Veja também:

linkPapa pede que Igreja faça de tudo para não anular casamentos

linkArquivos secretos sobre Pio XII serão abertos em 5 anos

 

Bento XVI também manifestou seu apoio à Conferência Episcopal italiana (CEI), que havia pedido que "todo o possível fosse feito para tutelar o crescimento do emprego, assegurando um trabalho digno e adequado para o sustento das famílias".

 

Como exemplo do impacto da crise sobre o emprego, o papa citou o caso da fábrica da Fiat em Termini Imerese, na Sicília, onde trabalham cerca 3 mil pessoas e que teve seu fechamento anunciado para 2012. Mais tarde, acompanhado de duas crianças italianas do movimento Ação Católica Romana, Bento XVI soltou duas pombas da janela de seus aposentos.

 

A libertação das aves marcou, junto com a leitura de uma mensagem, o fim da Caravana da Paz, iniciativa que a Ação Católica Romana promove em janeiro de cada ano para conscientizar a sociedade da importância da paz. "Queridas crianças, agradeço-as porque, com vossa Caravana da Paz e com o símbolo destas pombas, vocês dão um sinal de esperança", concluiu o papa.

Mais conteúdo sobre:
Papa Bento XVI desemprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.