Tony Gentile/Reuters
Tony Gentile/Reuters

Papa condena ataques a igrejas nigerianas e filipinas no Natal

Doze pessoas morreram nos incidentes; pontífice os classificou como 'violência absurda'

Reuters

26 Dezembro 2010 | 12h26

CIDADE DO VATICANO - O papa Bento XVI condenou neste domingo, 26, os ataques a igrejas na Nigéria e nas Filipinas no dia de Natal, chamando-os de violência absurda.

O papa disse a fiéis e turistas na Praça de São Pedro que ficou entristecido pelos ataques nos dois países, além do ataque suicida que ocorreu no Paquistão.

"Quero expressar meus sinceros pesares pelas vítimas desse atos absurdos de violência, e mais uma vez repetir meu apelo para que abandonem esse caminho de ódio e busquem soluções pacíficas para conflitos", disse o líder religioso em sua janela.

Seis pessoas morreram em ataques a duas igrejas cristãs no nordeste da Nigéria, país mais populoso da África, e outras seis ficaram feridas após a explosão de uma bomba em uma igreja católica na cidade de Jolo, nas Filipinas.

Em mensagem de paz divulgada em 16 de dezembro, o papa afirmou que os cristãos são o grupo religioso que mais sofre preconceito no mundo e que é inaceitável que tenham que arriscar suas vidas para praticar sua fé em alguns países.

Ao menos 40 pessoas morreram em um ataque suicida em Peshwar, no Paquistão, também no dia de Natal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.