Papa condena eutanásia e pede apoio a doentes terminais

Durante um congresso, Bento XVI afirmou que a sociedade deve respeitar todas as fases da vida humana

Ansa,

25 de fevereiro de 2008 | 12h22

O papa Bento XVI afirmou nesta segunda-feira, 25, que "a sociedade e os setores vinculados à ciência médica" são "obrigados" a proteger e respeitar a vida humana em todas as suas fases, condenando, assim, "toda forma de eutanásia direta". O pontífice também pediu maior empenho dos Estados em ajudar doentes graves e suas famílias.   Bento XVI falou sobre o tema ao receber, no Vaticano, cerca de 400 participantes de um congresso organizado pela "Pontifícia Academia da Vida", relacionada a doentes terminais.   Diante do que chamou de "impulsos eutanásicos" ditados por uma "visão unilateral em relação ao ser humano", o Papa reiterou sua "firme e constante condenação a toda forma de eutanásia direta".   "Toda a sociedade, mediante suas instituições civis e de saúde, é chamada (pelo Vaticano) a respeitar a vida e a dignidade dos doentes graves e terminais", destacou.   Durante o encontro com os congressistas, o Papa lançou também um chamado para que as leis estatais auxiliem os familiares de doentes à beira da morte, além de pedir que sejam concedidas licenças de trabalho às pessoas mais próximas de doentes graves, como acontece durante a gravidez de uma mulher.   "Uma sociedade solidária e humanitária não pode deixar de levar em conta as difíceis condições das famílias que, às vezes por longos períodos, devem carregar o peso da gestão domiciliar de doentes graves não auto-suficientes", concluiu Bento XVI. A prática da eutanásia é ilegal em países como Espanha, França, Itália, Brasil e o próprio Vaticano.   A primeira nação a legalizá-la foi a Holanda, em 2002, seguida da Bélgica. Em fevereiro deste ano, Luxemburgo se tornou o terceiro país da União Européia a permitir essa prática, que consiste na decisão voluntária de um paciente terminal em pôr fim, sem sofrimentos, a sua própria vida.

Tudo o que sabemos sobre:
VaticanoPapaBento XVIEutanásia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.