Osservatore Romano/AFP
Osservatore Romano/AFP

Papa conversa com astronautas a 400 km da Terra: 'O espaço é o futuro'

Entre as perguntas de Francisco aos seis tripulantes da Estação Espacial houve questões como o 'lugar' do homem no universo

O Estado de S.Paulo

26 Outubro 2017 | 21h55

CIDADE DO VATICANO - Filosofia, curiosidade, ciência e família: assim foi o colóquio do papa Francisco com os astronautas da Estação Espacial Internacional na tarde desta quinta-feira, 26.

+++ Netflix apresenta elenco argentino de 'O Papa', filme de Fernando Meirelles com Anthony Hopkins

Em uma conexão áudio e vídeo da Sala Paulo VI, o papa conversou ao vivo com os tripulantes da Missão 53, a bordo da Estação Espacial Internacional a 400 quilômetros da Terra.

+++ Papa Francisco convoca Sinodo para Amazônia

Entre as perguntas feitas por Francisco, havia questões complexas, como o "lugar" que o homem ocupa no universo, segundo a visão dos astronautas.

 

+++ Papa canoniza 30 brasileiros e proclama santos três meninos mártires do México

"É um discurso muito delicado", respondeu o astronauta italiano Paolo Nespoli. "Creio que o nosso objetivo aqui seja conhecer o nosso ser e o que está ao nosso redor. E se trata de algo interessante, porque mais conhecemos, mais percebemos que conhecemos pouco. Gostaria muito que pessoas como o senhor - teólogos, filósofos, poetas e escritores - pudessem vir aqui no espaço, e não somente físicos e engenheiros. Isso aqui será realmente o futuro; gostaria que viessem aqui para explorar o que significa ter um ser humano no espaço."

Ver a Terra com os olhos de Deus

Sobre a perspectiva de admirar o planeta Terra do espaço na velocidade orbital de 10 km/s, um membro russo da tripulação disse que é como "ter a possibilidade de ver a Terra um pouco com os olhos de Deus e ver a beleza e incredulidade deste planeta".

"Nós vemos a Terra com olhos diferentes: vemos uma Terra sem confins, vemos uma Terra onde a atmosfera é extremamente sutil, e olhar a Terra deste modo nos permite pensar como seres humanos, de como todos deveríamos trabalhar juntos e colaborar por um futuro melhor."

O papa e os astronautas falaram ainda da convivência "internacional" nas expedições, já que se trata de pelo menos nove nações europeias, mais Estados Unidos, Rússia, Japão e Canadá.

Francisco agradeceu a oportunidade da conversa com o pequeno "Palácio de Vidro", em referência à sede das Nações Unidas em Nova York. Já o Nespoli agradeceu em nome de toda a tripulação da Estação Espacial Internacional, afirmando que se trata de um local de muita pesquisa, "onde se vai atrás das coisas todos os dias".

"Eu lhe agradeço por ter estado conosco e por ter-nos levado 'mais acima' e por ter-nos tirado dessa mecanicidade cotidiana, por ter-nos feito pensar em coisas maiores do que nós", afirmou o astronauta.

Tripulação

A tripulação é composta por: Randolph Bresnik (Estados Unidos), comandante da Agência Espacial Americana (Nasa, na sigla em inglês); Paolo Nespoli (Itália), engenheiro de Programas de Observação da Terra da Agência Espacial Europeia(ESA, na sigla em inglês); Mark T. Vande Hei (Estados Unidos), engenheiro da Nasa; Joseph Acaba, (Estados Unidos, de origem porto-riquenha), engenheiro da Nasa; Segey Ryazanskiy (Rússia), engenheiro; e Alexander Misurkin (Rússia), engenheiro. /AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.