Papa convida EUA a solucionar conflitos com apoio internacional

Na Casa Branca, Bento XVI afirma que país é generoso ao agir em favor das necessidades humanas

Efe e Associated Press,

16 de abril de 2008 | 12h07

O papa Bento XVI convidou nesta quarta-feira, 16, os Estados Unidos a continuarem tentando solucionar os conflitos com "o apoio paciente da diplomacia internacional", em discurso na Casa Branca antes de se reunir com o presidente George W. Bush. O presidente deu as boas-vindas ao pontífice e afirmou que os EUA são um país de fé e de compaixão.   Foto: AP   O papa disse que os EUA se "mostram sempre generosos ao irem ao encontro das necessidades humanas imediatas, promovendo o desenvolvimento e oferecendo alívio para as vítimas das catástrofes naturais".   "Nossa Nação lhe dá as boas-vindas e valorizamos seu exemplo", disse Bush durante a cerimônia de boas-vindas ao pontífice, com quem se reúne no Salão Oval. "Estamos comovidos e honrados pelo fato de o senhor ter decidido visitar os EUA em seu aniversário", acrescentou Bush, que também agradeceu que, diante da ameaça do terrorismo, o papa propague "a mensagem de que Deus é amor".   Bento XVI chegou na terça-feira aos Estados Unidos, quando foi recebido por Bush logo após desembarcar do avião. Nesta quarta-feira, o papa deve passar o maior parte do dia na Casa Branca - é o segundo pontífice que visita o local e o primeiro em 29 anos.   Segundo a porta-voz da Casa Branca, Dana Perino, Bush enfocaria na conversa com o papa os temas em que ambos concordam, como a expansão da tolerância religiosa e a contenção da violência extremista. Além disso, preocupações com o Líbano e a África estariam na pauta de discussões.   Para Dana, o Iraque não deve dominar as conversas. Este é um dos pontos em que Bento XVI e Bush não concordam. Além dele, o embargo norte-americano a Cuba e a pena de morte são questões que geram divergências entre o religioso e o presidente. Bento XVI também disse anteriormente que pretendia discutir o tema da imigração com Bush. No passado, o papa já condenou as leis rígidas em relação aos imigrantes.   Um assunto que deve receber pouca atenção no encontro é o tema dos escândalos de abusos sexuais envolvendo padres. Na terça-feira, durante a viagem, Bento XXI se disse "envergonhado" com esses casos, alguns deles ocorridos nos Estados Unidos. Na noite desta quarta-feira, o papa participará de um encontro com bispos norte-americanos. Há expectativa sobre a forma como Bento XVI tratará do tema dos abusos.

Tudo o que sabemos sobre:
Bento XVIGeorge W. BushEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.