Papa diz que hipocrisia prejudica credibilidade da Igreja

O papa Francisco disse neste domingo que líderes clericais e cristãos não devem trair a palavra de Deus com suas ações ou correm o risco de prejudicar a credibilidade da Igreja Católica.

STEVE SCHERER, Reuters

14 Abril 2013 | 15h54

Francisco, eleito há um mês, tem como um de seus principais desafios restaurar credibilidade da Igreja após uma série de escândalos, incluindo abuso sexual de crianças por padres.

O papa fez seus comentários Basílica de São Pedro, onde celebrou a missa dominical. Ele também saudou os peregrinos e membros de igrejas locais na Praça de São Pedro.

"Inconsistência por parte de pastores e de fiéis entre o que dizem e o que fazem, entre a palavra e o estilo de vida, está prejudicando a credibilidade da Igreja", afirmou o pontífice em sua homilia.

"Aqueles que nos ouvem e nos observam devem ser capazes de ver em nossas ações o que escutam de nossos lábios", acrescentou.

Em sua primeira grande decisão, no sábado, Francisco estabeleceu uma comissão de cardeais para ajudá-lo a governar a Igreja e reformar sua problemática administração central, que foi afetada por disputas internas e suspeitas de corrupção sob o Papa Bento.

Bento deixou um relatório secreto para Francisco sobre os problemas na administração, conhecida como Cúria, que vieram à tona quando documentos sensíveis foram roubados da mesa do papa e vazados por seu mordomo no que ficou conhecido como o escândalo "Vatileaks".

(Reportagem adicional de Gillian Hazell em Roma)

Mais conteúdo sobre:
RELIGIAOPAPAHIPOCRISIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.