Papa diz que homem falhou ao tentar 'eliminar Deus'

Segundo Bento XVI, essa atitude privou o homem 'das esperanças necessárias para enfrentar as dificuldades'

Efe,

09 de março de 2009 | 15h31

O papa disse nesta segunda-feira, 9, que a "tentativa do homem de eliminar Deus de sua vida como condição para conseguir a felicidade não deu resultado", pelo contrário, "privou-o das esperanças necessárias para enfrentar as dificuldades e os desafios diários". Veja também: Máquina de lavar fez mais pela mulher do que pílula, diz Igreja Bento XVI fez esta declaração em um discurso na Prefeitura de Roma, onde também falou dos problemas que afetam a capital italiana, entre os quais ressaltou os transtornos econômicos derivados da crise atual e os recentes casos de violência contra mulheres. "Os episódios de violência demonstram um mal-estar profundo. São o sinal de uma pobreza espiritual que aflige o coração do homem. A eliminação de Deus e de sua lei como condição da realização da felicidade do homem não alcançou seu objetivo", declarou o papa. "Pelo contrário, priva o homem das certezas espirituais e das esperanças necessárias para enfrentar as dificuldades e desafios diários", acrescentou. O Pontífice acrescentou que diante da "preocupante fragilidade" dos ideais humanos e espirituais, a Igreja, através de suas paróquias e de outras entidades eclesiásticas, está comprometida com uma obra educativa "para que as novas gerações descubram os valores perenes".

Tudo o que sabemos sobre:
religiãoBento XVI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.