Papa diz que nações antes 'ricas em fé' perdem identidade

Ele criticou aspectos da cultura moderna que proclamam a 'morte de Deus' confundem a sociedade

EFE,

05 de outubro de 2008 | 08h54

O papa Bento XVI disse que países que já foram "ricos em fé e vocações agora estão perdendo sua identidade sob a influência nociva e destrutiva de uma certa cultura moderna".  O pontífice fez  essa observação durante homilia na basílica de São Paulo Extramuros, na abertura do 12º Sínodo de Bispos, que inicia seus trabalhos nesta segunda-feira, 6.   A missa foi co-celebrada por 52 cardeais, 45 arcebispos, 130 bispos e 85 padres, além de 14 representantes da Igreja Ortodoxa.   Bento XVI denunciou nesta cultura moderna há quem "tenha decidido que 'Deus está morto' e se declara 'deus' a si mesmo, tomando-se como único artífice do próprio destino e proprietário absoluto do mundo".   O papa perguntou se "quando se elimina Deus do horizonte pessoal, pode-se ser feliz", e respondeu que "ao fim, o homem se encontra mais só e a sociedade, mais dividida e confusa".

Tudo o que sabemos sobre:
papabento xvivaticano

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.