Papa diz que somente os 'puros' podem receber a comunhão

Bento XVI acrescentou que o pecado, 'sobretudo o pecado grave', se opõe 'à ação da graça eucarística'

EFE,

22 de junho de 2008 | 17h37

O papa Bento XVI disse que somente os "puros" e os que não estão manchados pelo pecado podem receber a comunhão.   Ainda segundo o pontífice, aqueles que não podem tomá-la por conta de sua situação pessoal (os divorciados), "encontrarão, no desejo de comunhão, uma força e uma eficácia salvadora".   O papa fez estas declarações por videoconferência, na homilia da missa que concluiu o 49º Congresso Eucarístico Internacional, realizado em Québec (Canadá).   "Apesar de nossa fraqueza e nosso pecado, Cristo quer que sejamos sua morada. Por isso, temos que fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para recebê-lo em um coração puro, buscando, por meio do sacramento do perdão, a pureza que o pecado manchou", afirmou o bispo de Roma.   Bento XVI acrescentou que "na verdade", o pecado, "sobretudo o pecado grave", se opõe "à ação da graça eucarística sobre nós".   Nessas palavras, os observadores do Vaticano viram uma referência aos católicos divorciados e que se casaram de novo, os quais, apesar de não terem sido excluídos pela Igreja, são impedidos de comungar. Na homilia, o papa também pediu aos católicos que lutem para que todo ser humano seja respeitado "desde o momento da concepção até a morte natural".   Além disso, pediu que as sociedades ricas acolham os mais pobres e "lhes dêem toda a dignidade".

Tudo o que sabemos sobre:
catolicismoigreja católicabento xvi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.