Andrew Medichini/AP
Andrew Medichini/AP

Papa diz ter chorado ao saber da notícia sobre cristãos crucificados na Síria

Freira denunciou as execuções em povoados ocupados por grupos de muçulmanos extremistas

Efe

02 de maio de 2014 | 10h40

VATICANO - O papa Francisco confessou ter chorado ao saber da notícia de que alguns cristãos tinham sido crucificados nos últimos dias "em um país não cristão", como disse nesta sexta-feira durante a homilia da missa que oficia a cada manhã em sua residência, Santa Marta.

"Eu chorei quando vi nos meios de comunicação a notícia de que cristãos foram crucificados em certo país não cristão", explicou o papa em referência aos fatos registrados recentemente na Síria.

Fazendo referência ao Evangelho e à perseguição dos primeiros cristãos, o papa acrescentou que "hoje também há gente assim, que, em nome de Deus, mata e persegue". Em relação à perseguição dos cristãos, Francisco assegurou que "há muitos perseguidos" e lembrou que "existem países em que você pode ser preso apenas por levar o Evangelho".

Há poucos dias, o site da "Rádio Vaticano" publicou as declarações de uma freira, a irmã Raghida, que esteve na Síria e que denunciou que cristãos estavam sendo crucificados em povoados ocupados por grupos de muçulmanos extremistas.

Em meio a essa questão, o papa Francisco acrescentou que "ao Senhor não lhe preocupa quantos lhe seguem", ressaltando que, por exemplo, ele não pensa em fazer um "censo para ver se a Igreja aumentou".

"Ele fala, predica, ama, acompanha, percorre o caminho com as pessoas, calmas e humildes. E fala com autoridade, ou seja, com a força do amor", explicou o pontífice.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.