Papa lançará nova encíclica sobre a esperança cristã

Bento XVI tratará dos 'desafios' do secularismo e do relativismo, e argumentará contra Nietsche

Ansa,

22 de novembro de 2007 | 15h56

A nova encíclica do papa Bento XVI, dedicada ao tema da esperança cristã, será assinada em 30 de novembro, anunciou hoje o secretário de Estado do Vaticano, cardeal Tarcisio Bertone, confirmando versões recorrentes sobre a publicação do novo texto pontifício.    A encíclica Deus Caritas Est   O número dois da Santa Sé não informou quando o texto do pontífice será divulgado. Mais cedo, outras fontes haviam informado que o texto será liberado na próxima semana.   O documento, escrito em latim, está pronto e está sendo traduzido agora para italiano, inglês, francês, espanhol e alemão, língua natal do pontífice. O Vaticano ainda estuda a data de publicação, e é possível que ela fique para o Natal, o símbolo máximo da esperança para a fé católica.   Significativa também é a data na qual o papa assinará o texto: o dia de Santo André, comemorado em 30 de novembro, e que foi o irmão mais velho de São Pedro. Segundo a tradição, André foi o primeiro bispo de Constantinopla, patrono da Rússia, Ucrânia e Romênia. Essa será uma homenagem explicita ao antigo cristianismo oriental e do atual mundo ortodoxo.   Joseph Ratzinger, cujo pontificado começou em 19 de abril de 2005, publicou sua primeira encíclica em 25 de janeiro de 2006, sobre caridade e amor divino, intitulada Deus Caritas Est.   As encíclicas são cartas circulares destinadas aos bispos e por seu intermédio, aos católicos, nas quais um papa se posiciona sobre um tema ou contribui à doutrina da Igreja com um argumento particular.   A encíclica trata do tema da esperança cristã, a segunda virtude teológica. Seu título será Spe Salvi (Salvos Graças à Esperança), uma meditação de cerca de 65 páginas, inspirada em uma carta de São Paulo aos romanos, que no 8º capítulo diz que "já estamos salvos, ainda que apenas na esperança".   Depois de sua primeira encíclica Deus caritas est, Ratzinger meditará agora sobre o significado cristão da esperança, com base na filosofia moderna e o desafio que representam o secularismo e relativismo. O pontífice irá argumentar contra o filósofo alemão Friedrich Nietzsche.    Segundo fontes do Vaticano, o pontífice, que já trabalha em sua terceira encíclica, sobre temas sociais, escreveu o novo texto em julho passado, durante suas férias em Lorenzago di Cadore, norte da Itália, e em sua residência de verão de Castelgandolfo.   Texto ampliado às 18h04, com mais informações e correção na data do lançamento da encíclica.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.