AP
AP

Papa pede a José Graziano soluções efetivas contra a fome

'A alimentação é uma condição que aborda o fundamento do direito à vida', disse o pontífice ao novo secretário-geral da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO)

01 Julho 2011 | 12h42

CIDADE DO VATICANO - O papa Bento XVI pediu nesta sexta-feira, 1, soluções concretas à fome no mundo ao novo secretário-geral da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), o brasileiro José Graziano da Silva, destacando que "a alimentação é uma condição que aborda o fundamento do direito à vida".

Bento XVI recebeu em audiência nesta sexta-feira os participantes da 37ª Conferência da FAO, com a presença de Graziano e o diretor-geral da entidade, o senegalês Jacques Diouf.

O papa ressaltou o compromisso da Igreja Católica em colaborar com os esforços da FAO para responder às necessidades reais de tantos irmãos e irmãs na humanidade, e lembrou o apoio da Santa Sé aos méritos da organização.

"A pobreza, o subdesenvolvimento e, portanto, a fome são frequentemente resultado de atitudes egoístas que partem do coração do homem, se manifestam em sua ação social (...) e se traduzem na negação do direito básico de cada pessoa a se alimentar", declarou o pontífice.

Bento XVI criticou as condições como os mecanismos de distribuição e o mercado internacional tratam a questão alimentar no mundo.

Para ele, é urgente um modelo de desenvolvimento que considere não só a amplitude econômica das necessidades ou a confiabilidade técnica das estratégias a buscar, mas também a cooperação, solidariedade e altruísmo.

Em sua opinião, esse modelo proposto deve levar em conta "a dimensão humana de cada iniciativa e que seja capaz de realizar uma autêntica fraternidade, confiando na lembrança ética de 'dar de comer ao faminto'".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.