Papa pede fim da idolatria e critica cobiça e amor ao dinheiro

Pontífice diz ainda que a cobiça insaciável é uma idolatria e o amor ao dinheiro 'a raiz de todos os males'

Efe,

13 de setembro de 2008 | 06h36

O papa Bento XVI pediu neste sábado, 13, em Paris que a sociedade "fuja" dos ídolos, e denunciou que a cobiça insaciável é uma idolatria e o amor ao dinheiro "a raiz de todos os males". Veja também:Manifestantes protestam contra visita do papa à França Em Paris, papa pede que França cultive Deus na sociedade Bento XVI é recebido por Sarkozy em visita à França Visita do papa a Lourdes será transmitida pela internet Papa rezará pela paz mundial perante Nossa Senhora de Lourdes Os comentários do pontífice aconteceram na homilia da missa que ele celebra na Esplanada dos Inválidos, na capital francesa, que é assistida por mais de 200 mil fiéis. O bispo de Roma acrescentou que a idolatria é "uma falta grave, um escândalo e uma peste", e que o afã "de ter dinheiro e poder" desvia o homem de seu verdadeiro fim. Bento XVI ressaltou que a razão não está em contradição com a fé, mas advertiu que o que "desencaminha" o homem dessa perspectiva é o culto aos ídolos, "e a própria razão pode fabricá-los". Com esta missa, o papa conclui sua estadia em Paris. Na tarde deste sábado, Bento XVI viajará ao santuário de Lourdes (sudoeste), para as celebrações do 150º aniversário das aparições de Nossa Senhora a Bernadette Soubirous.

Tudo o que sabemos sobre:
Bento XVIpapa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.