Alberto Martín/Efe - 04/05/2003
Alberto Martín/Efe - 04/05/2003

Papa proclama João Paulo II 'venerável' e acelera beatificação

Bento XVI ainda precisa aprovar um milagre de seu antecessor; cura de freira com Mal de Parkinson é avaliada

Efe,

19 Dezembro 2009 | 10h44

O papa Bento XVI proclamou nesta sábado, 19, como "venerável" João Paulo II, após aprovar o decreto pelo qual são reconhecidas as "virtudes heroicas do servo de Deus" Karol Wojtyla, primeiro passo para a santidade do polonês, informou a Santa Sé.

 

O decreto foi aprovado durante a audiência concedida no Vaticano pelo prefeito regional da Congregação para a Causa dos Santos, o arcebispo Angelo Amato.

 

A assinatura do decreto não significa a imediata beatificação de Karol Wojtyla, já que ainda falta a aprovação por Bento XVI do milagre que leve à proclamação de seu antecessor como beato.

 

O ato deste sábado, no entanto, representa o começo da contagem regressiva para a elevação de João Paulo II à glória dos altares, que pode acontecer, segundo os observadores vaticanos, em outubro do próximo ano, coincidindo com a data em que Wojtyla foi eleito pontífice, em 1978.

 

Já em 17 de novembro, os cardeais e bispos da Congregação para a Causa dos Santos aprovaram essas "virtudes heroicas" de João Paulo II, e só se estava à espera de que Bento XVI assinasse o decreto.

 

Sobre o milagre, embora sejam várias as curas inexplicáveis atribuídas à intercessão de João Paulo II, o postulador da causa, o sacerdote polonês Slawomir Oder, escolheu a cura da freira francesa Marie Simon Pierre, que sofria do Mal de Parkinson, a mesma doença de Wojtyla. Após Bento XVI aprovar o milagre, só faltará escolher a data da beatificação.

 

O processo que levará João Paulo II aos altares foi aberto em 28 de junho de 2005 e começou em Roma, cidade onde morreu e de onde foi seu bispo durante 26 anos e meio.

 

A causa de beatificação foi aberta por desejo de Bento XVI sem esperar que se passassem cinco anos de morte, como estabelece o Código de Direito Canônico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.