Reuters
Reuters

Papa quer 'grupos missionários' em ambientes de trabalho

Segundo Bento XVI, estes são os locais em que os fiéis passam a maior parte do dia, daí a importância dos grupos

Ansa,

26 de maio de 2009 | 18h53

O papa Bento XVI pediu nesta terça-feira, 26, aos católicos que criem "grupos missionários" em seus locais de trabalho, já que estes são ambientes em que os fiéis "passam grande parte do dia".

 

Ao discursar no início do Convênio Diocesano de Roma, o Pontífice defendeu a retomada das ações de evangelização e incentivou os jovens que, segundo ele, cresceram "em uma sociedade individualista", a experimentarem "a beleza" de representar a Igreja.

 

O Papa ressaltou que os fiéis devem ter um "renovado espírito missionário para mostrar aos homens e às mulheres o amor de Deus". O encontro da diocese da capital italiana teve início nesta terça-feira, 26, na basílica de São João de Latrão.

 

Na chegada ao templo, Bento XVI foi saudado pelo cardeal Agostino Vallini, que disse que "a igreja de Roma sofreu nos últimos meses, ao ver os discursos e decisões do Papa serem interpretadas de modo errado". A declaração foi aplaudida pelos fiéis que assistiam à cerimônia.

 

Em seu discurso, o Papa pediu mais sintonia entre a diocese e os movimentos eclesiais. Ele chamou a atenção para o sofrimento das novas gerações com o "enfraquecimento das relações pessoais", mas disse que o cristianismo é capaz de "superar o individualismo e a solidão".

 

Para o líder máximo da Igreja, os católicos devem deixar de ser apenas "colaboradores dos padres" e assumir a tarefa de promover a evangelização. "Todos fazem parte do povo de Deus, do Papa até a última criança batizada", ressaltou.

Tudo o que sabemos sobre:
Bento XVIRomagrupos missionários

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.