Papa se reúne com vítimas de abuso e encerra visita

É a primeira vez que o papa se desculpa especificamente pelo abuso sexual por parte de clérigos

Reuters e Efe,

21 de julho de 2008 | 01h52

O papa Bento XVI recebeu neste domingo, 20, na cidade australiana de Sydney, quatro vítimas de abusos sexuais cometidos por padres australianos. Bento XVI encerrou sua visita nesta segunda-feira, 21, após a realização da Jornada Mundial da Juventude, e retornou para o Vaticano.  No começo da manhã, o papa celebrou uma missa na capela da Catedral de Santa Maria, no centro da cidade. Depois, o pontífice conversou com dois homens e duas mulheres vítimas de abusos sexuais, ouviu caso de casa um e consolou o grupo. Bento XVI também prometeu que rezaria por eles, por suas famílias e por todas as vítimas de atos semelhantes. A reunião, segundo o Vaticano, transcorreu em meio a um clima de respeito e forte emoção. Com o gesto, acrescenta o comunicado do Vaticano, Bento XVI quis expressar um sentimento, já manifestado outras vezes, sobre o drama dos abusos sexuais. Além disso, voltou a demonstrar sua compaixão por todos aqueles que foram vítimas de padres pedófilos. É a primeira vez que o papa se desculpa especificamente pelo abuso sexual por parte de clérigos, e declara claramente que os abusadores deveriam ser julgados. Na Austrália, já são 107 condenações por abuso sexual na Igreja Católica, mas grupos de vítimas afirmam que existem muitos outros casos. A organização Broken Rites, que representa as vítimas na Austrália, criticaram a reunião com o papa, dizendo que Bento XVI se reuniu somente com vítimas cuidadosamente escolhidas. "Temo que apenas vítimas que estão de acordo com as políticas da Igreja foram escolhidas. Eles não estão preparados para enfrentar alguém que não está de acordo", disse o presidente da Broken Rites, Chris MacIsaac. "As vítimas que não estão satisfeitas têm o direito de se pronunciarem", acrescentou. As vítimas vinham pedindo ao papa que realizasse um pedido público de desculpa durante sua visita a Sydney e também para que implementasse um sistema aberto e responsável para investigar as denúncias de abuso. Para elas, a Igreja Católica continua ocultando os casos de abuso sexual. Volta ao Vaticano O primeiro-ministro australiano, Kevin Rudd, foi ao aeroporto se despedir do pontífice, depois que este agradeceu pelo trabalho das centenas de voluntários que se reuniram no Parque Domain, no centro de Sydney, para vê-lo pela última vez durante a atual visita. Bento XVI lembrou a todos que "os atos dos apóstolos dizem que é mais enaltecido dar do que receber". Durante a Jornada Mundial da Juventude, o pontífice lembrou aos jovens católicos a importância de proteger o meio ambiente, exigiu a renovação espiritual à Igreja e ao mundo e apontou a cidade espanhola de Madri como a sede da próxima edição do evento, que ocorrerá em 2011. O evento contou com a presença de 350 mil pessoas, segundo dados do Vaticano, um número inferior aos 500 mil esperados pelos organizadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.