Papa sinaliza apoio a cardeal de confiança envolvido em crise

O papa Bento 16 e seu cardeal de maior confiança, Tarcisio Bertone, visto como principal alvo na atual campanha de vazamentos no Vaticano, apareceram lado a lado nesta sexta-feira durante uma visita a Milão, numa demonstração de apoio que de pouco deve servir para arrefecer o escândalo.

REUTERS

01 Junho 2012 | 17h46

O pontífice fez um discurso sem mencionar o caso, que veio à tona na semana passada, quando o mordomo pessoal do papa foi detido pelo furto de documentos pessoais.

Muitos observadores do Vaticano dizem que o mordomo é um mero bode expiatório numa disputa de poder entre os aliados e inimigos de Bertone, secretário de Estado do Vaticano.

O caso representa a pior crise em sete anos do pontificado de Bento 16, que se disse magoado com a situação.

O papa saudou milhares de peregrinos na praça que fica em frente ao Duomo, catedral gótica de Milão. Bertone estava sentado no palanque ao lado do papa, do prefeito de Milão e do cardeal Angelo Scola, arcebispo da cidade.

"Façamos o papa sentir nosso abraço. O senhor pode contar com muitíssimos amigos mundo afora. Santidade, nós o amamos", disse Scola.

Nesta semana, Bento 16 manifestou confiança nos seus "colaboradores mais próximos", o que muitos interpretaram como um gesto de apoio a Bertone.

A publicação de constrangedores detalhes sobre homens que Bertone nomeou ou transferiu, e sobre projetos que ele defendeu ou contrariou, sugere um esforço concentrado para derrubá-lo do cargo.

Cerca de 15 mil policiais foram mobilizados para os três dias da visita do papa a Milão a fim de manter manifestantes afastados.

(Reportagem de Silvia Aloisi)

Mais conteúdo sobre:
RELIGIAO BERTONE ESCANDALO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.