Divulgação/Nasa
Divulgação/Nasa

Parafuso emperrado complica trabalho em caminhada espacial

Atividade consumiu duas horas da caminhada de mais de sete, e parte da programação foi adiada

Associated Press

11 Abril 2010 | 13h51

Astronautas em uma caminhada espacial tiveram de apelar para um martelo e um pé-de-cabra para prender um novo tanque cheio de amônia à Estação Espacial Internacional (ISS) neste domingo, conseguindo introduzir um parafuso emperrado no lugar após duas horas de trabalho frustrante. A ação, a uma altitude de 346 km, desenrolou-se no 40º aniversário do lançamento da Apollo 13.

 

Na segunda caminhada espacial em três dias, Rick Mastracchio e Clayton Anderson bateram e puxaram e empurraram, sem sucesso, o parafuso emperrado. Eles então soltaram todos os parafusos bons e sacudiram o tanque de 771 kg, no caso de ele estar desalinhado. Depois de inserir o tanque num ângulo diferente, o parafuso problemático deslizou para o lugar certo.

 

"Brincadeira!", gritou Anderson. "Entrou?", perguntou a astronauta Dorothy Metcalf-Lindenburger, que acompanhava a operação do lado de dentro da ISS. "Sim, sim. É brincadeira", Anderson repetiu. "Ele está lá. E agora, o que a gente faz?"

 

Os astronautas que permaneciam no interior da ISS pediram que os colegas do lado de fora descansassem um pouco, mas eles insistiram que eram capazes de prosseguir. A despeito disso, o controle de missão decidiu adiar a conexão dos tubos do reservatório de amônia e algumas outras tarefas, que agora ficaram para a terceira caminhada espacial da missão, na terça-feira.

 

Mesmo com o adiamento, a caminhada espacial deste domingo foi longa, totalizando 7 horas e meia.

Mais conteúdo sobre:
discoveryestação espacialnasa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.