Parceria entre Brasil e Reino Unido trará R$ 200 milhões para pesquisa científica

Fundo de cooperação criado pelo governo britânico lança edital para financiamento de projetos colaborativos de até 100 mil libras

Fábio de Castro, O Estado de S. Paulo

06 Agosto 2014 | 19h30

SÃO PAULO - O governo britânico anunciou nesta quarta-feira, 6, a abertura do primeiro edital de um fundo que injetará, nos próximos três anos, mais de R$ 200 milhões em projetos colaborativos de pesquisa científica e inovação tecnológica no Brasil. O Fundo Newton, como foi batizada a iniciativa, tem o objetivo de estimular parcerias que promovam desenvolvimento econômico e bem-estar social em países emergentes. O valor global dos investimentos, que beneficiarão 15 países, chegará a R$ 1,4 bilhão, ao longo de cinco anos.

A parceria prevê contrapartida brasileira com os mesmos valores financiados pela parte britânica. O programa prevê o financiamento de 18 milhões de libras (mais de R$ 68 milhões) anuais, ao longo de três anos. Metade desse valor virá dos Conselhos de Pesquisa do Reino Unido (RCUK, na sigla em inglês) e o resto, do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) - as duas entidades que administram o edital (clique aqui para acessar a chamada pública, com todas as informações sobre elegibilidade, critérios e recursos).

De acordo com o gerente do Fundo Newton no Brasil, Diego Arruda, o objetivo da chamada pública é financiar projetos de pesquisas conjuntas de curto prazo ou de pequenas escalas. Por isso foi estabelecido um teto de 100 mil libras por projeto. "Com isso, queremos que o Fundo seja capaz de estabelecer colaborações sustentáveis entre o Reino Unido e pesquisadores brasileiros", disse ele.

Áreas prioritárias. O edital, segundo Arruda, privilegiará projetos nas áreas de saúde, transformações urbanas, alimento, energia, água e meio ambiente, resiliência da biodiversidade e dos ecossistemas e desenvolvimento econômico e bem-estar social. Mas propostas de outras áreas também serão consideradas, desde que sejam objeto de forte colaboração entre o Reino Unido e o Brasil.

Arruda explicou que, embora o edital inaugural seja voltado apenas para projetos de pesquisa colaborativos, as próximas chamadas de propostas - que serão realizadas ainda este ano - deverão contemplar outras modalidades de apoio. "Vamos lançar um edital voltado para bolsas e linhas de financiamento para workshops científicos", afirmou.

O Fundo Newton de fomento à pesquisa e inovação em países emergentes foi lançado no Brasil pelo Ministro das Finanças britânico George Osbourne, em abril de 2014. Além do Brasil, receberão aportes do fundo China, Índia, Turquia, África do Sul, México, Chile, Egito, Colômbia, Cazaquistão, Tailândia, Indonésia, Vietnã, Filipinas e Malásia.

O prazo para apresentação de propostas vai até o dia 17 de outubro. As propostas bem-sucedidas serão anunciadas em dezembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.