Partido Verde condena liberação judicial dos transgênicos

Bancada do Partido Verde na Câmara dos Deputados, em nota, condenou liminar da juíza Selene Maria de Almeida, do TRF, suspendendo decisão de primeira instância contra plantio e a comercialização da soja transgênica da Monsanto. A empresa recorreu da decisão com base em parecer da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) que autorizou o plantio sem a realização do estudo de impacto ambiental. "O posicionamento da CTNBio resultou de um processo irregular, suspeito e ilegal", acusou a bancada. O PV quer que "o governo seja responsável" quanto aos transgênicos e cobra aplicação do decreto de rotulagem. "É de lamentar que até agora a regra da rotulagem não esteja sendo cumprida, num verdadeiro descaso com a saúde pública e o meio ambiente". Na avaliação do PV a situação piora com a resposta que o Ministério da Agricultura deu ao pedido de informação do partido. Segundo a agremiação, o ministério informou que "tem conferido aos grãos comercializados, dentro de suas funções de rotina, o mesmo tratamento do grão convencional, sendo inviável a determinação precisa do destino da parcela transgênica".

Agencia Estado,

13 de agosto de 2003 | 19h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.