Paternidade reduz testosterona em homens

Uma pesquisa indica que a paternidade pode reduzir os níveis de testosterona no homem. Pesquisadores americanos compararam os níveis do hormônio sexual masculino entre estudantes chineses, solteiros e casados, com e sem filhos. Os que tinham filhos apresentaram os níveis mais baixos de testosterona entre os pesquisados.Os pesquisadores, da Universidade de Medicina e Ciência Charles Drew em Los Angeles, da Universidade de Harvard e da Universidade de Nevada, pediram que 126 homens entre 21 e 38 anos respondessem um questionário. Os homens também forneceram duas amostras de saliva, uma de manhã e outra à tarde.Os 66 homens solteiros tinham níveis de testosterona levemente mais altos do que os 30 homens casados e sem filhos. Mas os 30 homens casados e com filhos tinham níveis de testosterona significativamente mais baixos do que os demais, casados ou não.Como animaisOs pesquisadores, liderados pelo médico Peter Gray, da Universidade Charles Drew, disseram no artigo publicado na revista Proceedings of the Royal Society que os níveis mais elevados de testosterona estavam associados com acasalamento, "competição entre machos, procura de parceiros", enquanto que os níveis mais baixos do hormônio estão ligados a relacionamentos e, particularmente, paternidade."Níveis baixos de testosterona em pais podem refletir sua retirada da arena competitiva e seu envolvimento nos cuidados referentes à paternidade", disse Gray.Nick Neave, psicólogo da Universidade de Northumbria, na Grã-Bretanha, afirma que a descoberta se encaixa em um padrão já reconhecido, visto em humanos e animais, relacionado à criação dos mais jovens."Obviamente há elementos sociais na paternidade. Mas somos espécies biológicas e não estamos tão distantes dos animais, apesar de gostarmos de pensar que estamos", disse."A natureza não quer que os níveis de testosterona sejam altos quando há um bebê. É uma época frustrante para homens, muito exaustiva. É a maneira da natureza tornar os homens mais civilizados, pelo menos por um tempo", acrescentou.

Agencia Estado,

09 de novembro de 2005 | 11h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.