Divulgação
Divulgação

Pedaço de pão quase atrasa início das atividades do LHC

Segundo o Cern, 'o pão, que achamos que foi levado por um pássaro, caiu sobre o transformador do acelerador'

Efe,

06 Novembro 2009 | 16h09

O acelerador de partículas do Laboratório Europeu de Pesquisa Nuclear (Cern) começará a trabalhar em meados deste mês, como estava previsto, apesar de um pequeno incidente causado nesta semana por um pedaço de pão que caiu sobre seu transformador elétrico.

 

Veja também:

link Colisor de Hádrons atinge temperatura de -271°C

link O experimento que testa os limites da Física

link LHC vai começar a operar com metade da energia total

 

Uma porta-voz do Cern informou à Agência Efe que, na terça-feira passada, "um pedaço de pão, que achamos que era levado por um pássaro, caiu sobre o transformador elétrico do acelerador".

 

Isso provocou um curto-circuito no equipamento, que fica na superfície - ao contrário do acelerador em si, que está situado em um túnel circular de 27 quilômetros sob a fronteira entre França e Suíça -, causando o aquecimento de dois de seus setores.

 

Além disso, o incidente provocou uma interrupção do sistema de resfriamento do acelerador de partículas, acrescentou a porta-voz, a qual destacou que os dois setores afetados já foram resfriados até sua temperatura operacional.

 

Segundo porta-vozes do Cern, o incidente não alterou os planos para iniciar novamente, por volta de meados de novembro, o Grande Colisor de Hádrons (LHC, na sigla em inglês), o maior acelerador de partículas já construído.

 

O LHC ficou mais de um ano parado devido a uma grave avaria ocorrida dez dias depois de começar seus trabalhos em setembro de 2008.

 

Após o vazamento do incidente do pedaço de pão, o Cern quis minimizar o ocorrido e lidou com a situação com bom humor.

 

Em um curto comunicado emitido hoje sobre o assunto, intitulado "Incidente Pão-Pássaro no LHC", o Cern explica que "o pássaro saiu ileso, embora tenha perdido seu pão".

Mais conteúdo sobre:
LHC Cern

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.