Peixe venenoso invade a costa americana

Devido ao número crescente de notificações da presença de peixes-leão (Pterois volitans) na costa leste dos Estados Unidos, o Center for Coastal Fisheries and Habitat Research, da Carolina do Norte, lançou um alerta, dirigido, sobretudo, aos mergulhadores. A espécie é nativa do Oceano Pacífico, com distribuição entre a Austrália e o Japão, incluindo a Micronésia e a Malásia. Nos Estados Unidos é comercializada para aquários e foi a vedete dos colecionadores há cerca de 10 anos. É possível, que sua introdução no Atlântico tenha sido causada por aquaristas, que desistiram da criação e resolveram soltar seus mascotes no mar.O problema é que se trata de um peixe venenoso, capaz de provocar dor intensa em quem tocar as pontas de suas nadadeiras dorsais ou laterais. Além disso, é um predador voraz, que consome qualquer peixe de menor tamanho. Quando adulto e sem inflar as nadadeiras, o peixe-leão mede até 38cm.No Atlântico, alguns exemplares foram vistos em quatro naufrágios freqüentados por mergulhadores e numa área de fundo de pedra, na costa da Carolina do Norte, em 2000 e 2001. No ano passado, também foram observados nas costas da Georgia, aumentando a preocupação relativa à sua proliferação. Como a maioria das espécies invasoras, o peixe-leão não tem predadores no Atlântico e sua instalação em novos ambientes pode alterar o equilíbrio entre espécies nativas, além de colocar em risco os eventuais freqüentadores daquelas áreas.

Agencia Estado,

16 de janeiro de 2002 | 10h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.