Pelos e caspa podem afetar clima, diz estudo

O cientista Ruprecht Jaenicke, da Universidade de Maguncia, na Alemanha, afirma que materiais biológicos como pólen, pelos de animais e até caspa foram encontrados em bastante quantidade em aerossóis. Segundo o estudo, publicado nesta quinta-feira na revista Science, esses materiais podem compor até 40% do aerossol.Há muito tempo sabe-se que os aerossóis são um fator importante para regular o clima. Isso porque essas partículas minúsculas que flutuam no ar, absorvem o calor, aquecendo o ar, e refletem a luz do sol, refrescando-o. As partículas também são importantes na formação da chuva e da neve.A novidade é sua composição. Até agora, acreditava-se que os materiais biológicos estavam em pequena quantidade nos aerossóis, que, teoricamente, eram, em sua maior parte, compostos por partículas minerais.Mas, através de pesquisas, descobriu que os pelos animais, fragmentos de plantas e partículas que se soltam da pele chegaram a compor 40% do aerossol na região de Magnuncia, no mês de setembro, caindo para 30% em outubro. No lago Baikal, na Rússia, as partículas eram 30% do aerossol em setembro.Um painel da Organização Meteorológica Mundial calculou que as partículas biológicas do ar somaram cerca de 56 milhões de toneladas anuais. De sais marinhos foram detectados 3.300 milhões e 2.000 milhões de partículas minerais.Com a descoberta, Jaenicke acredita que as partículas biológicas devem ser levadas em conta ao nas medições meteorológicas e em tratamentos de alergia.

Agencia Estado,

31 de março de 2005 | 16h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.