Pesca predatória extermina golfinhos no litoral gaúcho

A pesca predatória matou pelo menos 80 toninhas, espécie de golfinho sem valor comercial no Brasil, durante esta semana, no litoral do sul do País, próximo à fronteira com o Uruguai. Os restos dos animais foram encontrados numa faixa de 30 quilômetros de praia por ambientalistas ligados ao Instituto Sea Shepherd do Brasil que monitoram atividades ilegais na região para denunciá-las ao Ibama e ao Ministério Público do Rio Grande do Sul.A matança pode ter sido muito maior, desconfia o estudante de Biologia Wendell Estol. ?Percorremos só uma pequena partedos 156 quilômetros de praia do município de Santa Vitória do Palmar?, relata. Prejudicados pelo mau tempo, os fiscais do Ibama não conseguiram chegar ao local nesta sexta-feira e prometem avaliar a situação a partir de segunda-feira.A pesca industrial de arrastão é praticada em larga escala nesta época do ano nas frias águas do litoral gaúcho. As redesrecolhem tudo o que encontram pela frente. Presos, os golfinhos não conseguem subir à superfície para respirar. Os quesobrevivem acabam mortos a tiros ou pauladas. ?É mais barato matar para descartar do que montar uma operação para retirar osanimais vivos das redes?, afirma Estol.Os ?fiscais? da Sea Shepherd contam que os barcos estão pescando em águas muito próximas à praia, quando o limite seria de5,5 quilômetros. Apesar disso, está cada dia mais difícil identificá-los porque seus proprietários cobrem os nomes pintados no casco.

Agencia Estado,

06 de fevereiro de 2004 | 19h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.