Pescadores encontram uma presa de mamute de 2 metros

Presa foi encontrada no rio Longyugan, na Sibéria, entregue ao museu local da cidade de Nadim

Efe

11 de julho de 2008 | 14h28

Pescadores siberianos encontraram no rio Longyugan, na região de Yamalo-Nenets, na Sibéria, uma presa de mamute de dois metros e de cinco mil anos de antiguidade, que foi entregue nesta sexta-feira, 11, ao museu local da cidade de Nadim. Um grupo de trabalho se dirigiu imediatamente ao local da descoberta, onde espera encontrar mais partes do esqueleto do animal, um macho adulto, informou a agência Itar-Tass. As proximidades da cidade de Nadim, cujo nome é mencionado pela primeira vez em textos do século XVI, se transformaram em um lugar de interesse para os cientistas. Em 1998, escavações realizadas nas ruínas do antigo assentamento permitiram encontrar 200 objetos, entre eles artigos confeccionados com ossos e presas de mamute. Em maio do ano passado, foi descoberta uma múmia de criação de mamute no distrito autônomo de Yamalo-Nenets. A descoberta do bebê mamute, que se expõe estes dias em Taiwan, teve especial importância para os especialistas, pois o paquiderme se conservou íntegro nos gelos perpétuos e tem intactos até os olhos e a tromba.

Tudo o que sabemos sobre:
arqueologiaciência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.