Pesquisa diz que mães empresárias atribuem sucesso à gravidez

Cerca de 40% das mães criam empresa na gravidez ou até um ano após ter o bebê

BBC Brasil, BBC

11 de janeiro de 2008 | 16h20

A gravidez inspira mulheres a criar seu próprio negócio e as torna mais capazes para obter sucesso na empreitada, de acordo com estudo realizado pela empresa internacional Yell.com.A pesquisa, intitulada 'Mães Magnatas', observou que 40% das mães que criaram seu próprio negócio tiveram a idéia quando estavam grávidas ou dentro de um ano após o nascimento do bebê.Além disso, 92% das empresárias com filhos atribuem o sucesso nos negócios a uma série de habilidades que desenvolvem durante a experiência da materinade. Entre essass habilidades estão a capacidade de realizar diversas tarefas ao mesmo tempo, planejamento de atividades futuras e eficiência.O psicólogo Geoffrey Beattie, que analisou os dados da pesquisa, disse que "a gravidez tem um grande efeito sobre o corpo e o cérebro, ela pode elevar o humor por longos períodos". "Quando as pessoas estão em estado de espírito elevado, elas estão preparadas para considerar situações de risco de iniciativas como abrir um negócio. Isso pode levar à transformação de uma idéia inicial a uma ação", disse.InternetO estudo constatou que, depois de iniciar os negócios, as mães-empresárias desenvolvem até 18 funções diferentes, que vão desde cozinhar até realizar a contabilidade das empresas.As mulheres estimaram que teriam que pagar um salário anual de 50 mil libras (aproximadamente R$ 200 mil) para que outra pessoa realizasse as tarefas que elas executam.A pesquisa também analisou a importância da internet para o setor. Para metade das entrevistadas, sem a liberdade e a flexibilidade que a internet permite, não seria possível trabalhar. O chefe de marketing da Yell.com, Helen Stevenson, acredita que "é particularmente interessante ver o quanto a internet está ajudando as mães a desenvolver suas aspirações e criar empresas".BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.