Pesquisa do Greenpeace mostra contaminação na poeira doméstica

O Greenpeace divulgou ontem, em Bruxelas, na Bélgica, uma pesquisa mostrando a contaminação por substâncias químicas na poeira coletada em casas européias. Segundo o relatório Consumindo Substâncias Químicas, a origem dessa poluição são utensílios domésticos utilizados diariamente pelos consumidores, como tecidos, televisões, cosméticos e brinquedos.As análises, feitas por laboratórios do Reino Unido, Holanda e Alemanha, mostraram a presença hormônios disruptores alcalinofenóis, esterftalatos, substâncias bromadas, parafinas cloradas e compostos orgânicos a base de cobre. A poeira foi coletada de 100 residências voluntárias no Reino Unido e comparada com um pequeno número de amostras de outros países (3 na Finlândia, 3 na Dinamarca, 2 na Suécia, 1 na França e 1 na Espanha). A quantidade das substâncias detectadas foi de uma parte em 2 mil.Na opinião de John Butcher, coordenador da campanha contra substâncias tóxicas no Brasil, ?as pessoas suspeitam da poluição dos carros e fábricas, mas não imaginavam que seus objetos domésticos e costumeiros sejam tóxicos?. O relatório tem a finalidade de pressionar a atual revisão da política para substâncias químicas, iniciada pela Comissão Européia em fevereiro de 2001.Pela proposta da União Européia, as novas leis farão com que as substâncias químicas mais perigosas - incluindo as estudadas na pesquisa do Greenpeace - sejam identificadas. Uma ?autorização? será necessárias para que continuem sendo produzidas. Para a entidade ambientalistas, porém, ?apenas quando as empresas forem obrigadas legalmente a substituir as substâncias tóxicas por alternativas mais seguras é que nós poderemos livrar nosso meio ambiente, nossas casas e nossas vidas dessas ameaças?, disse Butcher.

Agencia Estado,

01 de maio de 2003 | 15h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.