Pesquisador diz que Cristo morreu vítima de coágulo

Um médico israelense do Hospital Maimônides de Haifa, Benjamin Brenner, especialista em trombose e hemóstase, afirma que Jesus Cristo morreu vítima de um coágulo sanguíneo enquanto estava na cruz, ao contrário da tradicional crença que assegura que sua morte ocorreu por hemorragia.Segundo resultados de sua pesquisa, divulgada nesta quarta-feira pela publicação médica The Journal of Thrombosis and Haemostasis, o coágulo teria chegado a um dos pulmões.Brenner chegou a essa conclusão com o argumento de que Jesus, descendente de uma família judia de Nazaré, na Galiléia, no norte de Israel, sofreria - como outras pessoas dessa origem nessa região - de trombofilia, isto é, seria propenso a tromboses.O médico israelense afirma que, embora tenha sofrido antes da crucificação, a perda de sangue pelas feridas que sofreu não teria sido suficiente para provocar sua morte.A revista de Associação Médica dos Estados Unidos também mencionou, em uma edição de 1986, a possibilidade de a morte de Jesus ter sido conseqüência de uma trombose, mas finalmente concluiu que houve uma hemorragia por causa das feridas.

Agencia Estado,

08 de junho de 2005 | 10h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.