<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1659995760901982&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Pesquisadores da USP descobrem novo mineral

Um novo mineral acaba de ser catalogado cientificamente. Tata-se de um silicato de urânio-tório, de coloração amarelada, já batizado com o nome de Coutinhoita. A rocha foi encontrada por um colecionador na mina Urucun, que fica na cidade de Galiléia (MG), e estudada por pesquisadores do Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo (USP).A descrição físico-química do mineral está sendo apresentada em uma tese de doutorado e deve constar do catálogo da União Internacional de Mineralogia, instituição que ratifica este tipo de descoberta em todo o mundo. Segundo a Agência Fapesp, o nome Coutinhoita é uma homenagem ao professor emérito do instituto, José Moacyr Vianna Coutinho, que há mais de 40 anos contribui para a mineralogia.Os pesquisadores pensaram, a princípio, que o mineral era uma weeksita, rica em fosfato, mas os estudos revelaram características ainda não conhecidas. A tese que apresenta o novo mineral, produzida por Flávio de Souza, tem como título Coutinhoita, um novo silicato de urânio análogo a weeksita. ?É bastante rara a descoberta de um novo mineral?, disse Souza à Agência Fapesp.

Agencia Estado,

10 de fevereiro de 2004 | 12h40

Selecione uma opção abaixo para continuar lendo a notícia:
Já é assinante Estadão? Entrar
ou
Não é assinante?
Escolha o melhor plano para você:
Sem compromisso, cancele quando quiser
Digital Básica
R$
0, 99
/ mês
No primeiro mês
R$ 8,90/mês a partir do segundo mês
  • Portal Estadão.
  • Aplicativo sem propaganda.
Digital Completa
R$
0, 99
/ mês
No primeiro mês
R$ 18,90/mês a partir do segundo mês
Benefícios Digital Básica +
  • Acervo Estadão 146 anos de história.
  • Réplica digital do jornal impresso.
Impresso + Digital
R$
20, 90
/ mês
No primeiro ano
R$ 56,90/mês a partir do segundo ano
Benefícios Digital Completa +
  • Jornal impresso aos finais de semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.