Pesquisadores de Oxford estudarão a crença em Deus

Estudo terá três anos de duração, contará com R$ 7,5 milhões e tentará determinar as razões da crença

Agência Estado e Associated Press,

19 de fevereiro de 2008 | 14h41

A Universidade de Oxford vai promover uma pesquisa de três anos com verbas de o equivalente a R$ 7,5 milhões para determinar por que existe entre os seres humanos a crença em Deus.   A pesquisa do Centro de Ciência e Religião Ian Ramsey unirá antropólogos, teólogos, filósofos e outros acadêmicos no estudo sobre se a crença num ser divino é uma parte básica da estrutura do ser humano.   "Existem muitas questões", disse Roger Trigg, diretor do centro. "O que é inato na natureza humana para se acreditar em Deus, ou em deuses ou em algo super-humano ou sobrenatural?"   Ele disse que pesquisas antropológicas e filosóficas sugerem que a fé em Deus é uma impulso humano universal encontrado na maioria das culturas do mundo, apesar de estar desvanecendo na Grã-Bretanha e Europa Ocidental em geral.   "Uma implicação disso é que a religião é a posição padrão e o ateísmo é que talvez precise mais de explicação", opinou.   O estudo é financiado pela John Templeton Foundation, uma organização filantrópica dos EUA que oferece um prêmio, o Prêmio Templeton, para trabalhos que busquem uma aproximação entre ciência e espiritualidade. Alguns pensadores ateus, como o biólogo Richard Dawkins, são duros críticos da fundação.

Tudo o que sabemos sobre:
OxfordpesquisacrençaDeus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.