Pesquisadores descrevem o 13.º dino brasileiro

O Brasil terá em breve seu 13.º dinossauro - até agora são 12 as espécies encontradas em território nacional. O fóssil de um ornitisco, que viveu no País há cerca de 230 milhões de anos, foi apresentado no 2.º Congresso Latino-Americano de Paleontologia de Vertebrados, realizado no Rio de Janeiro na semana passada.Pegadas desses animais já haviam sido registradas em Araraquara, no interior de São Paulo, e na Paraíba, em formações que datam do período Cretáceo (de 145 a 65 milhões de anos atrás). O novo dinossauro foi encontrado na cidade de Agudo, no Rio Grande do Sul, em formação da idade Triássica (período compreendido entre 251 milhões e 199 milhões de anos).?Já se sabia que eles andavam por aqui, mas não no Triássico?, disse o autor do trabalho, Max Langer, do Departamento de Biologia da Universidade de São Paulo, campus de Ribeirão Preto.Os ornitiscos eram animais herbívoros de tamanhos variados e podiam ser tanto bípedes como quadrúpedes. Segundo Langer, o espécime brasileiro deveria ter 1,5 metro de comprimento.Foram encontrados fragmentos cranianos, parte da cauda, ossos isolados da cintura e dos membros e 12 fêmures direitos.O animal apresenta também fragmentos da mandíbula com dentes e características típicas do grupo - como o cíngulo, projeção na parte interna do dente que ajuda na trituração de material vegetal.?Esta é uma forte evidência que de se tratava de um herbívoro?, observou o pesquisador.Outra peculiaridade da espécie é a presença do predentário, osso que se projeta à frente da mandíbula, característica também de outros exemplares de ornitiscos, como o Pisanosaurus argentino e o Silesaurus da Polônia.?A distribuição e a relativa abundância dos primeiros ornitiscos mostram que a América do Sul teve papel importante na origem e na dispersão do grupo para o mundo?, concluiu Langer.

Agencia Estado,

15 de agosto de 2005 | 09h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.