Petroleiro apresenta nove fissuras no casco

O "Prestige", petroleiro de 26 anos e bandeira de conveniência das Bahamas, afundado a 3.500 metros de profundidade no Oceano Atlântico, a 250 quilômetros da costa espanhola, tem nove fissuras no casco: quatro na proa (frente) e cinco na popa. É o que descobriu a tripulação do minissubmarino francês Nautille, ao fim de oito imersões contratadas pelo governo espanhol.As rachaduras na popa ainda vazam óleo. Desde o dia 19 de novembro, quando afundou, o petroleiro vazou quantidades desconhecidas.A tragédia ambiental e econômica adquire contornos inéditos. A pesca na Galícia emprega 120 mil pessoas, em atividades diretas e indiretas. As festas natalinas são o período de maior faturamento desse negócio que movimenta US$ 330 milhões anuais.Pescadores galegos começaram a receber hoje, do governo federal, a ajuda de US$ 1.200 mensais, em compensação pela proibição total da pesca e coleta de frutos do mar em toda Galícia. Não há previsão de quanto tempo vai durar a proibição.Especialistas calculam que os tanques ainda contenham 50 mil toneladas de óleo combustível. No momento, três manchas, de 29, 14 e 10 quilômetros movem-se do local do naufrágio para a costa galega.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.