Petroleiro avariado ameaça agora águas portuguesas

Prestige, um petroleiro de 26 anos deidade. Propriedade da companhia grega Mare Shipping Inc. e combandeira, de conveniência, das Bahamas, as águas e as praias da Galícia espanhola e agora ameaça as águas portuguesas. Mais calmas que as espanholas.Na última quarta feira, enfrentando uma tempestade a 45 quilômetros das costas de La Coruña, na Espanha, sofreu um rombo no casco, abaixo da linha d´água, de mais de 10 metros de diâmetro. Vazou 5 mil toneladas de petróleo crú para as praias da Galícia, grande produtora de peixes e frutos do mar - lulas, caranguejos, ostras e mariscos. Essa produção está suspensa, sem previsão de ser retomada.O navio-tanque avariado tem ainda umas 70 mil toneladas de petróleo bruto. Está sem motores, porque a vibração no casco ameaçava alargar o rombo, partindo a embarcação em dois. Se todo esse óleo vazasse, o desastre seria maior que o do Exxon Valdez, em 1989, no Alasca.O grego Apostolus Maguras, capitão do Prestige, não saiu dadelegacia depois do depoimento de 5 horas. Está preso com afiança fixada em 3 milhões. Acusação: desobediência e danosambientais.Sem motores, foi puxado por rebocadores da Smit, empresaholandesa de salvamento, até águas portuguesas. A tenente MariaMartins, porta-voz da Marinha de Guerra portuguesa, informa que"o Centro de Salvamento Marítimo está preparado para qualquereventualidade."São 18 quilômetros de barreiras já colocadas. Se não houver mais vazamentos, diz Enrique Lopes Veiga, conselheiro regional de pesca da Galícia, "os trabalhos de limpeza em andamento terminam em um mês". Às vésperas do Natal.

Agencia Estado,

18 de novembro de 2002 | 20h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.