PF fecha fábrica ilegal de palmito em Tinguá (RJ)

A Polícia Federal interditou nesta sexta-feira uma fábrica clandestina de palmitos que funcionava dentro da Reserva Biológica do Tinguá, em Nova Iguaçu. Duas pessoas foram detidas no local e liberadas após prestarem depoimento. Também foram apreendidas 700 peças para a embalagem e mais de 1000 rótulos do produto, comercializado em feiras livres na região.Segundo o delegado Alexandre Saraiva, a empresa retirava cerca de 30 palmeiras da reserva por semana. Saraiva afirmou ainda que eles processavam o alimento na fábrica, em meio a péssimo estado de higiene. Os donos, identificados como Luiz Penha e Maria Távora, estão foragidos.Em janeiro deste ano, o ambientalista Dionísio Júlio Ribeiro, de 61 anos, morreu em uma das trilhas da Reserva do Tinguá, vítima de uma emboscada. Ribeiro vinha denunciando a extração ilegal de palmito e de areia, além da caça de animais silvestres na região.

Agencia Estado,

24 de junho de 2005 | 19h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.