PF inicia operação contra biopirataria

A Polícia Federal iniciou nesta quarta-feira uma devassa em portos, aeroportos, rodoviárias e rodovias do País para combater a biopirataria e tráfico de animais silvestres. A operação Drake, que será desenvolvida de surpresa em três fases, foi desencadeada em 11 Estados brasileiros, e não terá tempo de duração pré-determinado. A PF também anunciou a criação das 27 primeiras delegacias de combate ao crime ambiental. Além da repressão, o governo está realizando uma campanha de prevenção e orientação em todos os locais suspeitos. Segundo o delegado Jorge Barbosa Pontes, coordenador da operação, hoje no mundo o comércio da biopirataria e tráfico de animais silvestres pode chegar a mais de US$ 5 bilhões, mas no Brasil as estatísticas ainda são imprecisas. "Não sabemos, ainda, qual a movimentação deste tipo de atividade ilegal", diz Pontes. "Mas o importante é combater antes que se alastre." A devassa começou a ser feita nos aeroportos de São Paulo, Rio deJaneiro, Pará, Amazonas, Amapá, Roraima, Mato Grosso, Pernambuco, Bahia e Mato Grosso do Sul, além do Distrito Federal, uma nova rota deste tipo de crime descoberta pela PF. Além da repressão policial, o governo está usando a área de inteligência para detectar quadrilhas e os atravessadores. A PF também está realizando um treinamento de agentes e delegados especializados neste tipo de crime para suprir as novas delegacias.

Agencia Estado,

09 de julho de 2003 | 20h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.