´Pingüins´ do Greenpeace fazem protesto em Buenos Aires

Cerca de 300 ambientalistas do Greenpeace fantasiados de pingüins pediram em Buenos Aires ao presidente da Argentina, Néstor Kirchner, seu "irmão", que apóie a manutenção de uma reserva natural do norte do país.Vestindo fraque e máscaras de pingüins, os manifestantes recorreram à imagem com que o próprio Kirchner costuma se identificar, por ter nascido no sul da Argentina.Os ativistas tentaram chegar até a Praça de Maio, localizada em frente à sede do governo, mas a polícia montou um amplo cordão de segurança para impedir o acesso.A reserva natural de Pizarro, situada na província de Salta, foivendida pelo governo daquela região no ano passado a investidoresprivados que pretendem investir ali no agronegócio.O protesto foi organizado para chamar a atenção sobre o futurodesse espaço protegido habitado por jaguares. A espécie é um dosprincipais felinos da América do Sul em perigo de extinção."Os números do desmatamento na região são alarmantes, e o governonão faz absolutamente nada a respeito. Todos os especialistasadvertem que a Argentina tem uma das taxas de desmatamento maisaltas do mundo", disse Emiliano Ezcurra, diretor de campanhas doGreenpeace.

Agencia Estado,

15 de setembro de 2005 | 15h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.