Pioneiro da clonagem falsificou dados, diz colaborador

Um colaborador do pioneiro sul-coreano da clonagem, o cientista Hwang Woo-suk, disse nesta quinta-feira à imprensa da Coréia do Sul que Hwang teria fabricado parte dos resultados de seu trabalho sobre células-tronco publicado em junho pela revista científica Science.No artigo, Hwang alegava ter produzido 11 linhagens de células-tronco de embriões humanos clonados, em uma nova técnica para produzir tecidos que se adaptariam perfeitamente ao DNA de um doador. Reportagem na TV sobre Hwang: denúnciasMas um dos co-autores do artigo, Roh Sung-Il, disse que pelo menos nove das 11 colônias de células-tronco descritas no artigo eram falsas. Hwang não comentou publicamente as denúncias.O estudo era considerado pioneiro, abrindo a possibilidade de cura para doenças degenerativas, como Parkinson e diabete. Hwang é considerado um herói por muitos sul-coreanos, por colocar o país na liderança deste novo campo da ciência.Estudo sob análiseO trabalho de Hwang está sendo analisado minuciosamente desde que seus métodos, considerados pouco éticos, foram revelados no mês passado.Em novembro, o cientista admitiu usar óvulos de membros de sua equipe nas pesquisas e, desde então, vem evitando a imprensa.Há informações de que ele vem sofrendo de estresse por conta das dúvidas em relação à credibilidade de seu trabalho e teria passado grande parte das últimas semanas internado em um hospital.Um cientista americano, Gerald Schatten, pediu que para que seu nome fosse retirado da lista de colaboradores de Hwang no estudo publicado na Science.As revelações provocaram um debate furioso na mídia sul-coreana e muitos analistas afirmam que é antipatriótico questionar alguém que deixou o país tão em evidência em áreas como a clonagem e as pesquisas com célula-tronco.

Agencia Estado,

15 de dezembro de 2005 | 16h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.