Planeta gigante ganha 650º C em poucas horas

Mundo chega muito perto de sua estrela e depois de afsata rapidamente, irradiando calor

Associated Press,

28 de janeiro de 2009 | 16h29

Astrônomos descobriram um planeta com um caso galáctico de ondas de calor. Em apenas seis horas, o mundo, com quatro vezes o tamanho de Júpiter, aqueceu-se em mais de 650º C, de acordo com estudo publicado na edição desta semana da revista Nature.    Descoberto planeta semelhante a Netuno fora do Sistema Solar   "É a primeira observação de uma mudança no clima" de um planeta fora do Sistema Solar, disse o autor do trabalho, Gregory Laughlin, professor de astronomia da Universidade da Califórnia em Santa Cruz. Ele usou o Telescópio Espacial Spitzer, da Nasa, para estudar o planeta.   "Mudança" é um eufemismo para o que se passa no planeta HD80606b. Normalmente, sua temperatura é de 525º C. Mas nas poucas horas que leva para dar uma volta em seu sol o planeta recebe uma dose enorme de calor, levando a temperatura a 1.225º C.   Durante sua breve passagem pela vizinhança imediata de seu sol, o planeta chega mais perto da estrela do que Mercúrio está perto do Sol. Quando atinge a aproximação máxima, o planeta se converte numa "tempestade fervente", diz Laughlin. A radiação que bombardeia a atmosfera é 800 vezes maior que a que atinge o astro no ponto mais distante de sua órbita.   Logo em seguida, o planeta se afasta e irradia o calor para o vácuo. Ele brilha num vermelho escuro e a temperatura despenca.   "Totalmente bizarro", diz o cientista. "É totalmente inabitável. Numa galáxia de planetas inabitáveis, este se destaca como sendo totalmente inóspito para a vida".   O planeta circula seu sol - a maior de duas estrelas de um sistema binário - em uma órbita de 111 dias.

Tudo o que sabemos sobre:
planetatemperaturanaturespitzer

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.