Plano de Bush destaca "causas naturais" de mudança climática

O principal objetivo do plano americano de estudo sobre o aquecimento global é saber mais sobre as causas naturais das mudanças climáticas, gerando duras críticas dos ambientalistas, que apontam para as emissões industriais de gás carbônico como o verdadeiro problema.O novo plano prevê gastos de US$ 103 milhões em dez anos para acelerar as pesquisas em algumas áreas de alta prioridade. Ao todo, o governo americano diz que gastará US$ 4,5 bilhões em programas governamentais paralelos, para lidar com as mudanças climáticas.O primeiro dos cinco objetivos do plano de 364 páginas é estudar a "variabilidade natural" nas mudanças climáticas. O segundo é encontrar formas mais eficientes de medir os efeitos da queima de combustíveis fósseis, da produção industrial de gases causadores do efeito estufa e das mudanças no uso do solo.Outros objetivos são medir a incerteza das previsões do tempo; entender melhor como as mudanças climáticas afetam a fauna e a flora; e encontrar formas mais eficazes de calcular os riscos do aquecimento global.Philip Clapp, presidente da organização não-governamental Agência Ambiental dos EUA, diz que "este seria um programa de pesquisa interessante se seu anúncio tivesse ocorrido dez anos antes, durante o governo de Bush pai".Annie Petsonk, uma advogada especializada em direito ambiental que ajudou a formular a política do primeiro presidente Bush sobre o assunto, afirma que já existem certezas científicas suficientes para começar a agir contra o aquecimento global.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.