Plantio de maconha ameaça parques nos EUA

Além de ursos e sequóias gigantes, os visitantes dos emblemáticos parques da Califórnia podem deparar com cultivos de maconha, vigiados por máfias mexicanas que se aproveitam do refúgio proporcionado por estes lugares.Recentemente, enquanto faziam sua ronda pelo Parque Nacional das Sequóias, na Califórnia, dois guardas florestais descobriram na localidade de Wawona um cultivo de mais de 6 mil plantas de maconha no coração do parque.Incidentes como este são cada vez mais freqüentes. No ano passado, os guardas do parque descobriram mais de 44 mil plantas - com um valor de venda, no preço das ruas dos EUA, de US$ 176 milhões -, o que representa um aumento de mais de 30% em relação ao que havia sido confiscado no ano passado.No vizinho e igualmente famoso parque de Yosemite, também na Califórnia, a situação é semelhante, segundo o último relatório da Associação para a Conservação dos Parques Nacionais. "A maconha cresce muito bem em alguns parques da Califórnia", disse Steve Shackelton, chefe dos guardas do Parque Nacional de Yosemite.Cultivo interno e terra públicaEle e outros diretores dos parques culpam as máfias mexicanas que, segundo dizem, se aproveitam de pessoas introduzidas ilegalmente no país para realizar seu trabalho sujo.Trata-se de uma situação que, ironicamente, piorou desde 11 de setembro do 2001, a data dos atentados terroristas da Al Qaeda contra os EUA, segundo Bill Tweed, naturalista do Parque Nacional das Sequóias. O aumento da segurança na fronteira com o México após os ataques terroristas tornou mais difícil a entrada de drogas no país, aumentando os incentivos para o cultivo interno.A outra grande ironia, explica Tweed, é que como as leis americanas ameaçam confiscar as terras privadas onde se cultive drogas, os traficantes têm menos a perder com plantações em propriedades públicas.Vegetação destruídaAs plantações de maconha destroem ainda a vegetação local, já que utilizam água em zonas que antes estavam secas, e levam pesticidas e herbicidas. Além disso, para expandir as plantações, os cultivadores freqüentemente cortam árvores, escavam terrenos, criam pequenas represas nos riachos e utilizam encanamentos de plástico.Em Yosemite, alguns envolvidos na atividade fazem fogueiras ao ar livre, o que pode provocar incêndios em lugares de difícil acesso.A gravidade da situação chegou ao Congresso dos EUA em meados de novembro, quando diretores testemunharam para denunciar que a produção ilegal de maconha em parques, florestas e outros espaços protegidos se transformou em um negócio multimilionário, concentrado principalmente na Califórnia.Além do Yosemite e do Sequóia, também há notícias da existência de cultivos nas montanhas de Santa Monica, próximo de Los Angeles, e nos parques Golden Gate e Point Reyes, ambos na baía de San Francisco, todos eles emblemáticos recantos de paz.

Agencia Estado,

06 de dezembro de 2005 | 13h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.