Playmobil mantém rixa com pastor que conta Bíblia na internet

Markus Bomhard é acusado de deformar os brinquedos da marca, estimulando crianças a fazer manipulações

Efe,

11 de abril de 2009 | 12h46

Coincidindo com a Semana Santa, a empresa alemã Playmobil mantém uma forte disputa com um pastor evangélico, a quem acusa de deformar os brinquedos da marca, estimulando crianças a fazer perigosas manipulações, para recrear cenas da Bíblia, como a crucificação de Jesus Cristo.

 

Veja também:

link Pastor alemão cria personagens bíblicos com Playmobil

 

Foto: AP

 

O pastor Markus Bomhard utiliza há dois anos bonecos Playmobil para explicar às crianças, através de um site, episódios bíblicos como a expulsão de Adão e Eva do Paraíso, a história do dilúvio e a arca de Noé e a vida de Jesus Cristo.

 

Membro da Igreja Evangélica de Hessen-Nassau na comunidade de Niederhöchstadt, na Alemanha, Bomhard assegura que sua iniciativa tem como fim demonstrar aos mais novos que a Bíblia não é um livro obsoleto e explicar as origens da religião cristã de uma maneira amena e divertida.

 

Com esse fim e para descrever, por exemplo, a crucificação de Cristo, ele decidiu deformar os bonecos com calor para possibilitar uma abertura melhor dos braços, posturas que os playmobil são incapazes de ter, e unir seus pés para cravá-los na cruz.

 

E, levando em conta que não existem bonecos Playmobil completamente nus, o pastor não titubeou em utilizar pintura de cor carne para colorir um casal e recrear a cena de Adão e Eva sem roupas no Paraíso, perante a árvore com a serpente e a tentadora maçã.

 

Após preparar com carinho as cenas bíblicas, Bomhard às fotografa e costuma postá-las em seu site, iniciativa que até pouco tempo atrás contava com o beneplácito da empresa.

 

Foto: AP

David e Golias

 

Batizado como "Playmo-Bibel", o site de Bomhard chegou inclusive a receber o prêmio de inovação da Igreja Evangélica por seu valor como "veículo de apostolado do cristianismo mediante o uso de um brinquedo magnífico".

 

No entanto, o aumento das manipulações acabou irritando a direção da Playmobil, que agora considera o trabalho do pastor um atentado contra seus direitos de propriedade intelectual e um exemplo perigoso para as crianças.

 

A Playmobil forçou o fechamento do site de Bomhard (playmo-bibel.de) por se tratar de um nome que se aproxima demais do original da marca e que poderia levar pessoas a pensar que se trata de uma iniciativa da própria empresa.

 

As pressões da firma fizeram com que Bomhard mantenha bloqueado também o site klicky-bibel.de, criado imediatamente após seus primeiros atritos com a empresa.

 

Os advogados da Playmobil exigiram de Markus Bomhard que se comprometa por escrito a não deformar mais os bonecos e a suspender a publicação das cenas religiosas.

 

A Playmobil afirma em comunicado que "apoia em princípio" o uso de seus brinquedos com fins de pedagogia religiosa como a iniciativa do polêmico pastor, mas que Bomhard "atentou" contra as diretrizes da empresa ao apresentar em público bonecos deformados.

 

Nesse sentido, declara "inaceitável" que o pastor tenha a intenção de "utilizar educadores como multiplicadores" de suas técnicas para deformar bonecos ao oferecer cursinhos para professores de religião.

 

Bomhard declarou que não compreende a decisão da Playmobil, uma vez que a empresa se beneficia da publicidade gratuita rendida pelo caso, e, por enquanto, se mantém à espera de saber as consequências jurídicas que a atitude pode ter.

 

Enquanto isso, a empresa e a Igreja Evangélica esperam que o pastor abra mão definitivamente desse trabalho e continue explicando a bíblia sem forçar os bonecos a assumir posturas "dolorosas".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.