Polícia perde os poderes especiais em visita do papa à Austrália

Justiça manteve a proibição de vender camisetas com mensagens contra o pontífice ou a religião católica

Efe,

15 de julho de 2008 | 02h53

A Justiça australiana anulou nesta terça-feira, 15, os "poderes especiais" concedidos à Polícia durante a visita do papa Bento XVI, informaram fontes oficiais. Mas manteve a proibição de venda de camisetas com mensagens contra a religião católica. O tribunal do estado de Nova Gales do Sul aceitou o recurso apresentado pela Coalizão NoAlPapa, que convocou uma manifestação para protestar contra as posturas da Igreja Católica diante do homossexualismo, do aborto, da aids e dos métodos anticoncepcionais. Segundo a Justiça, as medidas de exceção estipuladas pelas autoridades são inconstitucionais, entre elas as multas de até US$ 1 mil por "incomodar" um peregrino durante a Jornada Mundial da Juventude, e de US$ 5.300 para pessoas que exibissem mensagens contra o catolicismo. No entanto, a Justiça manteve a proibição de vender camisetas com mensagens contra o pontífice ou a religião católica.

Tudo o que sabemos sobre:
AustráliapapaBento XVI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.