Polícia tem de apartar briga de monges no Santo Sepulcro

Monges saíram algemados depois de violência durante procissão de cristãos armênios em Israel

Associated Press,

09 de novembro de 2008 | 16h17

A polícia israelense acorreu a uma das igrejas mais sagradas do mundo e prendeu dois sacerdotes, depois que uma discussão entre monges se transformou em uma briga perto do local onde, segundo a tradição cristã, fica a tumba de Jesus.   O conflito irrompeu entre monges ortodoxos gregos e armênios na Igreja do Santo Sepulcro. Teve início enquanto sacerdotes armênios desfilavam em uma procissão anual comemorando os 400 anos da descoberta da cruz que, acredita-se, foi usada na crucificação de Jesus. E terminou com a chegada de dezenas de policiais de tropa de choque que apartaram os lados da disputa, detendo um monge armênio de túnica vermelha e um monge grego vestido de preto. Ambos foram algemados.     Polícia tenta deter briga entre sacerdotes cristãos em Jerusalém. Foto: AP   Seis denominações cristãs dividem o controle da antiga igreja. Elas freqüentemente disputam influência e território, e a polícia israelense muitas vezes é levada a intervir.   A disputa deste domingo girou em torno da exigência dos ortodoxos gregos de ter um monge dentro da Edícula - a estrutura erguida no suposto local do sepultamento de Jesus - durante a procissão armênia. Os armênios recusaram-se, e quando tentaram desfilar, os monges gregos bloquearam o caminho.

Tudo o que sabemos sobre:
jerusalémcristianismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.