Pólio ressurge nos Estados Unidos

A poliomielite, ou paralisia infantil, uma doença perigosa, foi declarada morte em todo o Hemisfério Ocidental décadas atrás, graças a amplas campanhas de vacinação. Mas agora o mal ressurge numa pequena comidade amish - um grupo religioso que preserva um estilo de vida do século XIX - no Estado de Minnesota, Estados Unidos, informa o jornal The New York Times.Até o momento, a doença não provocou deficiências físicas graves em nenhuma das crianças afetadas: apenas 1 em 200 casops leva à paralisia. Mas autoridades temem que seja apenas uma questão de tempo. A história de como a pólio ressurgiu nesta comunidade rural de 24 famílias, cuja cultura inclui uma profunda desconfiança contra vacinas, é uma espécie de trama de mistério que terá de ser resolvida pelos médicos.A primeira paciente é uma menina de 8 meses, com uma deficiência imunológica que a torna incapaz de eliminar o vírus. A forma como o bebê foi contaminado é um mistério, mas agora a menina é uma fonte de vírus, que pode passar a doença para qualquer pessoa que não tenha sido vacinada. E, embora as taxas de vacinação nos EUA estejam numa lata histórica, cada vez mais pais resistem a vacinar os filhos, temendo que as vacinas provoquem problemas graves de saúde, como o autismo - uma conexão que a maiortia esmagadora dos cientistas considera fantasiosa.

Agencia Estado,

08 de novembro de 2005 | 19h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.