Políticos podem responder por invasão de parque

O Ministério Público Federal em Foz do Iguaçu propôs uma ação de improbidade administrativa contra o deputado federal Irineu Colombo (PT) e os prefeitos de Medianeira, Luiz Suzuke (PT), de Serranópolis do Iguaçu, Nilvo Perlim (PT), e de Capanema, Valter Steffen (PDT). Eles são acusados de incitarem a população na recente invasão da Estrada do Colono, que corta o Parque Nacional do Iguaçu, e de usar máquinas das prefeituras para isso. A estrada foi invadida em 3 de outubro e liberada pacificamente no dia 8, após expedição de reintegração de posse. A ação tem como litisconsorte o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). De acordo com a procuradora da República em Foz, Patrícia Maria Castro Nuñez, os acusados atuaram como agentes públicos, "incitando a população à destruição do patrimônio público e expondo as pessoas à ação da Polícia Federal". Segundo ela, o temor do MPF é que haja novas transgressões às liminares que mantêm a estrada fechada no próximo ano, que é eleitoral.O deputado Colombo desconsiderou a ação, alegando que sua função é legislar e que uma ação de improbidade administrativa cabe a quem administra. Ele afirmou que seu interesse, nas conversas que teve com autoridades ambientais, sempre foi de alertar para o risco de atos mais exaltados, caso a questão da estrada não fosse discutida de forma mais ampla, que levasse a integrar a população na preservação do parque. O prefeito de Medianeira disse que não fôra comunicado oficialmente e não poderia comentar a ação. Os outros não foram encontrados.

Agencia Estado,

22 de outubro de 2003 | 19h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.