Porco transgênico passa fluorescência aos filhotes

Cientistas chineses dizem que técnica poderá ajudar no transplante de órgãos

Associated Press,

09 de janeiro de 2008 | 16h36

Uma porca clonada, cujos genes foram alterados para fazê-la brilhar com uma luz fluorescente verde, passou a característica para os filhotes, desenvolvimento que poderá levar, no futuro, à criação de porcos para gerar órgãos para transplante, informa uma universidade chinesa.   Dois dos 11 porquinhos brilharam no nariz, patas e língua ao serem expostos à luz ultravioleta, afirma a Universidade Agrícola do Nordeste, localizada na cidade de Harbin.   A mãe é um dos três porcos nascidos com a característica em dezembro de 2006, depois que embriões de porcos receberam uma injeção de proteína verde fluorescente.   Segundo nota divulgada no website da instituição, o cientista que supervisiona o trabalho, Liu Zhonghua, afirma que o nascimento dos filhotes demonstra que os porcos transgênicos são férteis e capazes de passart as características geradas artificialmente para a descendência.   Segundo o especialista britânico Robin Lovell-Badge, a manipulação genética de porcos desse modo seria "muito valiosa". Ele faz a ressalva de que não viu a pesquisa chinesa e não poderia comentar sobre a credibilidade das alegações.   Mas disse que órgãos de porcos transgênicos poderiam resolver alguns dos problemas de rejeição em transplantes.

Tudo o que sabemos sobre:
transgênicoórgãos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.