Prefeitura libera área para Unifesp na zona leste

Terreno na avenida Jacu-Pêssego deverá abrigar um novo câmpus da instituição, em fase[br]de expansão na cidade

Mariana Mandelli, O Estado de S.Paulo

27 Julho 2010 | 00h00

O prefeito Gilberto Kassab assinou no sábado a desapropriação de um terreno na região da Avenida Jacu-Pêssego onde deve funcionar um novo câmpus da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), o primeiro da instituição na zona leste. A área tem 175,5 mil m² e é propriedade da metalúrgica Gazarra.

A expansão da Unifesp na capital paulista estava prevista desde o ano passado. A intenção era que os cursos passassem a ser oferecidos nos novos locais neste ano, mas, na época do anúncio, o reitor Walter Manna Albertoni não deu prazo para a abertura das novas unidades - a Unifesp havia anunciado também um câmpus na zona sul.

A expansão da Unifesp faz parte da Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), do governo federal. Nos últimos quatro anos, a universidade multiplicou por seis o número de alunos da graduação - eram 1.150 e hoje são 7mil. Atualmente, a Unifesp conta com seis câmpus: capital, Santos, Diadema, Guarulhos, São José dos Campos e Osasco. Em Santos, a primeira turma está se formando, mas o prédio ainda não está pronto.

A utilização do terreno na zona leste para a construção da universidade também faz parte de uma série de políticas de operação urbana da prefeitura. Para Luís França, do Movimento pela Implantação da Universidade Federal na Zona Leste, a assinatura é uma vitória. "A nossa região tem histórico de décadas de luta pela instalação de universidades públicas", afirma.

"Nós já conquistamos a USP Leste, mas ainda não é suficiente pela quantidade de alunos que temos aqui. Precisamos também desenvolver o potencial da região."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.