Prefeituras de São Paulo pedem revisão de dados colhidos pelo Censo 2010

Números populacionais ficaram abaixo do esperado, o que pode prejudicar repasse de verbas

Tatiana Fávaro, de O Estado de S.Paulo

09 Novembro 2010 | 18h13

CAMPINAS - As prefeituras de Valinhos, Santa Bárbara d'Oeste e Hortolândia, na região de Campinas, pedirão a revisão de dados do Censo 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo as administrações, os números ficaram abaixo do esperado - e do que os prefeitos consideram números reais -, e isso pode prejudicar o repasse de verbas do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). As prefeituras não informaram o valor que deixariam de receber caso o número apresentado pelo levantamento do IBGE seja adotado como oficial.

De acordo com estimativa do instituto, Valinhos tem 100.905 habitantes. Para a prefeitura, o número está muito abaixo da realidade, na casa de 107 mil habitantes, podendo chegar a 115 mil segundo dados baseados em informações de ligações do Departamento de Águas e Esgotos da cidade.

"O fator populacional interfere diretamente em benefícios para a população, uma vez que é decisivo para o repasse de verbas públicas, como o FPM. É preciso que as pessoas percebam a importância do trabalho realizado pelo IBGE, abram as portas de suas casas para os recenseadores e respondam ao questionário", afirmou o prefeito Marcos José da Silva (PMDB), por meio de assessoria.

O coordenador do Censo em Valinhos, Gilberto Furlan Costa, disse à administração que recenseadores e supervisores vão continuar a visitar imóveis na cidade até o dia 21, pois houve locais em que os pesquisadores não foram atendidos.

A Secretaria de Governo de Hortolândia também informou por meio de assessoria que a população apontada para o município - 186.461 habitantes - está abaixo da estimada. A prefeitura vai pedir revisão do levantamento ao IBGE e diz que há pelo menos 200 mil moradores na cidade atualmente.

Já a Prefeitura de Santa Bárbara d'Oeste questionará o fato de a cidade aparecer com população de 178.290 pessoas. O secretário de governo, Gilmar Margato, afirmou que os números estão aquém dos 200 mil habitantes estimados pela administração.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.